Talibã vai ‘de casa em casa’ matando pessoas que trabalharam com os EUA

Enquanto as forças armadas dos EUA e o Departamento de Estado se apressam para evacuar cidadãos americanos e aliados afegãos do aeroporto de Cabul, os postos de controle do Talibã estão bloqueando a liberdade e a segurança de muitos.

Há relatos locais indicando que os militantes estão executando pessoas que ajudaram as forças dos EUA ao longo dos anos.

Criança é entregue ao soldado dos EUA para fugir do país

Intérpretes E Soldados São Os Principais Alvos Do Talibã

Ryan Rogers, um sargento aposentado da Marinha, disse à Fox News na quinta-feira que o intérprete com quem ele trabalhou durante a sangrenta batalha de Marjah, em 2010, na província de Helmand, está atualmente preso em Cabul, impedido de chegar ao aeroporto enquanto combatentes do Talibã procuram e assassinam ex-comandos afegãos e intérpretes.

Ele me disse ontem que enforcaram três comandantes [do Exército Nacional Afegão] que haviam encontrado. Eles estão indo de casa em casa e mandaram um aviso dizendo que tinham ‘planos’ para as pessoas que contribuíram com a América.

O intérprete, que não está sendo identificado devido a preocupações com sua segurança, estava bem na tarde de quinta-feira.

“Eu disse: você viu alguma dessas coisas com seus olhos? Ele disse que sim”, afirma Rogers. “E eles disseram que vão de casa em casa e que suas prioridades são as Forças Especiais do Exército Nacional Afegão, as Forças Especiais da polícia e os intérpretes.”

O governo Biden finalmente reconheceu, nesta quinta-feira (19), relatos de que os evacuados estavam tendo problemas para chegar ao aeroporto internacional de Cabul, que é cercada por postos de controle do Talibã

Afegãos tiram selfie com combatentes do Talibã durante patrulha na cidade de Cabul
Afegãos tiram selfie com combatentes do Talibã durante patrulha na cidade de Cabul

‘É Um Sinal De Fraqueza’, Diz Oficial Do Exército Americano

Nas últimas duas semanas, enquanto as forças do Talibã varriam o país, houve relatos de militantes executando soldados afegãos que se rendiam.

O deputado Brad Wenstrup, um republicano de Ohio e oficial da Reserva do Exército, disse que “perdemos nisso nossa posição moral no mundo, e é um sinal de fraqueza ao invés de força.

Menino é resgatado em um Posto de Controle de Evacuação no Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul,
Menino é resgatado em um Posto de Controle de Evacuação no Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul,

Acho difícil acreditar que nossa comunidade militar e de inteligência teria recomendado dessa forma”, disse ele, criticando a liderança do governo Biden. “Mas essas são algumas das perguntas que precisamos ter respondido.”

Wenstrup, que serviu no Exército no Iraque, disse que ajudou mais de um intérprete a se mudar de lá. Um deles, agora cidadão americano e médico do estado de Ohio, chamou a situação do Afeganistão de “desanimadora”, disse o congressista.

Mas, apesar da retirada caótica dos Estados Unidos, Wenstrup tinha uma mensagem para os veteranos da Guerra ao Terror.

Não tivemos outro ataque em 20 anos“, disse ele. “Devemos elogiar todos aqueles que se sacrificaram tanto nos últimos 20 anos porque eles nos mantiveram seguros, e eles devem ser aplaudidos por isso.

E o mesmo aconteceu com seus parceiros de coalizão.

Espero e rezo para que aquele intérprete, encontremos uma maneira de tirá-los de lá“, disse Wenstrup. “Minha experiência é que, se os trouxermos aqui, eles farão tudo certo para se tornarem bons cidadãos americanos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade e nossos termos de uso Aceitar Ler Política