Rafinha se despede hoje do Flamengo: ‘Não é um adeus. É um até logo’

Na tarde desta segunda-feira Rafinha, agora ex lateral-direito do Flamengo, concedeu sua última entrevista coletiva no Ninho do Urubu para se despedir do clube e de seus amigos.

Ele também explicou os motivos – além da cifra milionária – que o fizeram optar pelo time europeu Olympiacos. Antes da entrevista iniciar, Gabigol resolveu fazer uma prévia e, em clima descontraído, levou várias garrafas de isotônicos para seu parceiro e perguntou: “vai chorar não né? chorão”.

Rafinha assinou um contrato de duas temporadas com o Olympiacos e vai receber um salário três vezes maior. O Flamengo já fechou com o chileno Mauricio Isla para ocupar sua vaga de lateral-direito.

Emocionado, Rafinha diz: “Uma vez Flamengo, sempre Flamengo”

O jogador comentou que foi uma decisão difícil e teve que pensar muito bem antes de aceitá-la. Também relembrou os tempos dos churrascos semanais com seus amigos: “não tinha motivo para fazer nada e eu falava para fazer, porque a gente precisava estar unido… Acho que esse é um segredo, estar unido”.

– É um momento difícil. Vim buscar esse desafio de triunfar no Brasil e consegui. O que fica marcado é que tentei e deu certo. Realizei sonhos de ser campeão brasileiro, da Libertadores, conquistar títulos pelo Flamengo. Essa é a parte mais importante – disse Rafinha.

A saída de Jorge Jesus pesou na decisão?

Rafinha se despede hoje do Flamengo
Rafinha se despede hoje do Flamengo

“Não interfere em nada na minha saída. Ele já está no Benfica, não está mais com a gente. O futebol é muito dinâmico, treinadores vão e voltam, jogadores também… Então, não adianta fazermos planos. As coisas acontecem de um dia para o outro”, respondeu Rafinha à jornalista.

Sobre a proposta do Flamengo

O atleta revelou que o Flamengo fez de tudo para que ele ficasse, porém, jogar na Europa é o sonho de todo jogador. Ele ainda agradeceu a oportunidade, pois sabe que uma proposta desse patamar para um jogador de 34 anos é algo difícil de acontecer.

“Fizeram uma contraproposta muito boa, mas já estava decidido na minha cabeça. Queria viver isso, deixei claro o meu desejo. É um técnico novo, competição nova, sem torcida… É um momento em que quero um desafio novo”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade e nossos termos de uso Aceitar Ler Política