Auxílio emergencial: consultas já estão abertas

A consulta da nova fase do auxílio emergencial deve ser feita pelo site da Dataprev. Pagamentos começam em 6 de abril

Beneficiários já podem saber se terão direito de receber a nova rodada do auxílio emergencial. A consulta foi aberta nesta sexta-feira (2), e como já foi informado pelo governo, não haverá abertura para novos cadastros.

Para isso fazer a consulta basta você acessar o Portal de Consultas da Dataprev e informar os seguintes dados:

  • CPF
  • Nome completo
  • Nome da mãe
  • Data de nascimento

Aqueles que já recebem o Bolsa Família e são inscritos no CadÚnico não estarão na lista da Dataprev.

Nestes casos as parcelas já serão depositadas automaticamente na conta dos beneficiários que se encaixam nos critérios do Bolsa Família.

Calendário do Auxílio Emergencial

Conforme o calendário da Caixa Econômica Federal, os pagamentos do auxílio emergencial irão começar a partir do dia 6 de abril, mas somente para os trabalhadores que fazem parte do Cadastro Único e os inscritos no Caixa Tem.

Para quem recebe o Bolsa Família, os depósitos vão seguir o próprio calendário do benefício, neste caso, dia 16 de abril.

Qual o valor do Auxílio Emergencial?

Os pagamentos serão feitos em quatro parcelas, sendo que mães solteiras receberão R$ 375 e pessoas que vivem sozinhas, R$ 150.

Os depósitos serão feitos na conta poupança digital do banco, acessada pelo aplicativo Caixa Tem. O beneficiário do auxílio emergencial pode movimentar o recurso de forma digital, já que seu saque é liberado posteriormente.

Em 2021, serão pagos R$ 43 bilhões a 45,6 milhões de brasileiros que atendem aos requisitos exigidos.

Quem pode receber o auxílio?

  • Famílias com renda per capita de até meio salário mínimo (R$ 550) e renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.300);
  • Público do Bolsa Família poderá escolher o valor mais vantajoso entre os benefícios e receber somente um deles.
  • Trabalhadores informais;
  • Desempregados;
  • Microempreendedor Individual (MEI).

Não recebem o auxílio

  • Trabalhadores com carteira assinada e servidores públicos;
  • Pessoas que não movimentaram os valores do auxílio emergencial e sua extensão em 2020;
  • Quem estiver com o auxílio do ano passado cancelado;
  • Cidadãos que recebem benefício previdenciário, assistencial ou trabalhista ou de programa de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família e do Pis/Pasep;
  • Médicos e multiprofissionais;
  • Beneficiários de bolsas de estudo e estagiários e similares;
  • Quem teve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019 ou tinha, em 31 de dezembro daquele ano, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;
  • Cidadãos com menos de 18 anos, exceto mães adolescentes.
  • Quem estiver no sistema carcerário em regime fechado ou tenha seu CPF vinculado, como instituidor, à concessão de auxílio-reclusão.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade e nossos termos de uso Aceitar Ler Política